Postagens

8º ano A - Refletindo sobre o Conto de Escola

O conto de Machado de Assis retrata uma época em que a escola era tida como uma prisão e quem saísse da linha, era castigado fisicamente e também publicamente humilhado com xingamentos severos. O pavor reinava na sala de aula e o professor era temido por usar como instrumento de castigo, a palmatória. Porém, o tempo passou e os castigos foram ficando mais amenos. Houve um tempo em que ficar ajoelhado sobre o milho era o pior castigo que um aluno poderia receber. Hoje, com as novas leis, com as mudanças culturais ocorridas e com o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), o que temos como castigo nas escolas é a conversa com os alunos indisciplinados e violentos e seus pais; a assinatura do livro de ocorrência; o remanejamento de turma ou ainda, se nada resolver, uma transferência de escola. O bordão "não dá nada" é que reina. Talvez seja por isso que alguns alunos não valorizem o privilégio de poder frequentar uma escola e ter acesso ao conhecimento. E você, o que aprendeu…

2º ANO: A viuvinha de José de Alencar

Imagem
Clique aqui e acesse a obra completa. Espere o arquivo carregar por completo e salve em seu dispositivo. São 38 páginas. Boa leitura!


Os 100 melhores livros brasileiros

Grande sertão: veredas, Guimarães RosaDom Casmurro, Machado de AssisMemórias póstumas de Brás Cubas, Machado de AssisO cortiço, Aluísio AzevedoOs sertões, Euclides da CunhaMacunaíma , Mário de AndradeA paixão segundo G.H., Clarice LispectorSão Bernardo, Graciliano RamosVidas secas, Graciliano RamosAngústia, Graciliano RamosSagarana, Guimarães RosaQuincas Borba, Machado de AssisMemórias sgto de milícias, Manuel A. de AlmeidaEu, Augusto dos AnjosA hora da estrela, Clarice LispectorLaços de família, Clarice LispectorOs ratos, Dyonélio MachadoO tempo e o vento, Érico VeríssimoGabriela,  cravo e canela, Jorge AmadoTriste fim de Policarpo Quaresma, Lima BarretoA mão e a luva, Machado de AssisIaiá Garcia, Machado de AssisMemorial de Aires, Machado de AssisPapéis avulsos, Machado de AssisA Estrela sobe, Marques RebeloO sítio do pica-pau amarelo, Monteiro LobatoO quinze, Rachel de QueirozO ateneu, Raul PompéiaBrás,  bexiga e barra funda, Antônio de Alcântara MachadoSermões, Antonio VieiraÓpera…

Os países que falam português

Imagem
A Língua Portuguesa é a quinta mais falada e a terceira do mundo ocidental, superada pelo inglês e o castelhano. 
Atualmente, aproximadamente 250 milhões de pessoas no mundo falam Português, o Brasil responde por cerca de 80% desse total. O idioma também é falado por uma restrita parcela da população de Macau (República Popular da China) e Goa (um estado da Índia).



A Carteira - Questionário

1. Por que Honório endividou-se?
2. Quem era Gustavo?
3. O que é um agiota?
4. Qual é o dilema da história?
5. Por que o conto se chama A Carteira?
6. Cite 2 sinônimos de "restituí-lo".
7. Explique o que é "praticar um ato ilícito".
8. Que adjetivos você daria a Honório? Por quê?
9. Que tipo de pessoa o personagem Gustavo representa?
10. Que história se revela ao final? Que passagem do texto comprova sua resposta?

A Carteira - Machado de Assis

...DE REPENTE, Honório olhou para o chão e viu uma carteira. Abaixar-se, apanhá-la e guardá-la foi obra de alguns instantes. Ninguém o viu, salvo um homem que estava à porta de uma loja, e que, sem o conhecer, lhe disse rindo:
-- Olhe, se não dá por ela; perdia-a de uma vez. -- É verdade, concordou Honório envergonhado. Para avaliar a oportunidade desta carteira, é preciso saber que Honório tem de pagar amanhã uma dívida, quatrocentos e tantos mil-réis, e a carteira trazia o bojo recheado. A dívida não parece grande para um homem da posição de Honório, que advoga; mas todas as quantias são grandes ou pequenas, segundo as circunstâncias, e as dele não podiam ser piores. Gastos de família excessivos, a princípio por servir a parentes, e depois por agradar à mulher, que vivia aborrecida da solidão; baile daqui, jantar dali, chapéus, leques, tanta cousa mais, que não havia remédio senão ir descontando o futuro. Endividou-se. Começou pelas contas de lojas e armazéns; passou aos empréstimos…